Pessoa com Deficiência

Dados Estatísticos

Pesquisas demográficas

Dados do último Censo indicam que 23,92% da população brasileira possui algum tipo de deficiência

CENSO 2010

No Brasil, as pesquisas demográficas desde o ano de 1872 incluem informações sobre deficiência. Estas pesquisas refletiam a visão que deficiência se define por um conjunto específico de defeitos corporais.

O Censo 2010 mostrou que quase 24% da população brasileira possui algum tipo de deficiência. Confira mais detalhes sobre os resultados preliminares da amostra do Censo 2010.

A Relação Anual de Informações (RAIS) reúne dados para a elaboração de estatísticas do mercado de trabalho brasileiro. Confira nas tabelas abaixo o total de empregos e a remuneração média segundo tipo de deficiência. Os dados são de 2011.

Formatos acessíveis:

PDF (15 mb)
DOC (51 kb)
TXT (70,6 kb)

RAIS 2011

Pessoas com Deficiência (Emprego)

Em 2011, 325,3 mil vínculos foram declaradas como de pessoas com deficiência - PCD na RAIS, representando 0,70% do total dos vínculos empregatícios. Do total de 325,3 mil, 213,8 mil eram do gênero masculino e 111,4 mil do feminino, o que indica uma proporção de 65,74% do total de Deficientes para o Homem e de 34,26% para a Mulher. Quanto às modalidades, houve predominância do gênero masculino em todas elas, variando de 64,44% para as PCD Visuais a 71,23% para as PCD Intelectuais (Mentais).


Os dados da RAIS por Grau de Instrução e Tipo de Deficiência revelam que o Ensino Médio Completo concentra o maior número de vínculos empregatícios de todas as modalidades, à semelhança do total dos vínculos.
Entre os cinco tipos de deficiência, o menor número de vínculos empregatícios ocorre na categoria dos Analfabetos.

TABELA RAIS - EMPREGO

Pessoas com Deficiência (Remuneração)

Os rendimentos médios das pessoas com deficiência foram de R$ 1.891,16, ligeiramente menor que a média dos rendimentos do total de vínculos formais (R$ 1.902,13). Esse resultado indica uma redução nos rendimentos médios do total de pessoas com deficiência, da ordem de 7,29%, oriunda, principalmente, da queda dos rendimentos das pessoas com Deficiência Física (-13,83%), que pode ser justificada, em grande parte, por uma melhor classificação dessa variável, por parte dos estabelicimentos declarantes.

Os dandos da RAIS relativos aos rendimentos médios por Gênero, segundo as modalidades de deficiência, mostram que, em todos os tipos, o Homem aufere rendimentos superiores aos das Mulheres, com variações que ocilam entre 58,34% para as pessoas com deficiência Auditiva a 90,17% para as pessoas com deficiência Intelectual (Mental). No caso das pessoas com deficiência Física, esse percentual atinge 77,03%, sendo de 77,40% para as com deficiência Múltipla e de 69,94% para aquelas com deficiência Visual.

As informações por Grau de Instrução apontam que, a partir do Ensino Médio Incompleto, existe uma correlação direta entre os rendimentos e o grau de escolaridade em todas as modalidades de deficiência. É importante registrar que, no nível Superior Compelto, os tipos Visual (R$ 5.900,70) e Auditivo (R$ 5.860,54) são aqueles que auferem os maiores rendimentos médios. Em contraposição, os menores salários ocorreram nos tipos Intelectual (R$ 2.959,05), seguido do tipo Reabilitação (R$ 3.609,45), deficiência Múltipla (R$ 3.825,56) e do tipo de deficiência Física (R$ 4.251,13).

TABELA RAIS - REMUNERAÇÃO

 

Disque100 - eleitoral

Destaques

Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Hanseníase

Hanseníase

Compartilhar

Desenvolvido com o CMS de código aberto Plone