Você esta aqui Home Notícias 2017 Novembro Em homenagem ao Dia da Consciência Negra, SUS lança Campanha da Saúde da População Negra

2017

Novembro

Em homenagem ao Dia da Consciência Negra, SUS lança Campanha da Saúde da População Negra

22/11/2017

A saúde da população negra brasileira foi contemplada na última terça (21) com o Lançamento da Campanha de Saúde da População Negra, de slogan “O SUS está de braços abertos para a saúde da população negra”, a ideia é dar visibilidade a garantia de um atendimento ético, humanizado e de qualidade a todos os usuários do Sistema Único de Saúde, reforçando a compreensão da situação em vulnerabilidade dos negros no Brasil.

Confira na integra

A cerimônia realizada no auditório do Ministério da Saúde era uma homenagem ao Dia da Consciência Negra. Na ocasião foi apresentada uma cartilha de orientações para a implementação da Política de Saúde da População Negra com tiragem prevista de 30 mil exemplares a ser distribuída para todo Brasil.

Estiveram presentes na mesa de abertura, o Ministro da Saúde, Ricardo Barros; a Secretária de Gestão Estratégica e Participativa,  Gerlane Baccarin; o Secretário Nacional de Promoção de Políticas da Igualdade Racial, Juvenal Araújo; o deputado Hiran Gonçalves e  Joaquín Molina, representante da Organização Pan-americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil.

Ricardo Barros anunciou a criação de um prontuário eletrônico que está em fase de implementação que ajudará a transformar informações e dados gerenciais articulados para produzir referencias para a área da saúde. “Eu tenho um carinho muito especial por este trabalho que é feito para o atendimento de todos no SUS, a população negra em especial, e dizer que vamos continuar avançando naquilo que for possível para integrar cada vez mais essas pessoas ao sistema e permitir que haja uma equidade no atendimento a todos os brasileiros”. O Ministro reconheceu ainda a importância da população negra na formação da cultura e desenvolvimento do país.

Representando a Ministra dos Direitos Humanos Luislinda Valois, Juvenal Araújo rememorou o momento histórico em que foi realizado a articulação entre o Ministério dos Direitos Humanos e o Ministério da Saúde para selar a obrigatoriedade da inclusão do quesito raça/cor em todo sistema de saúde. “É um prazer trabalhar todas as regiões do país o comprometimento com a saúde da população negra e a transversalidade da pauta. Esse plano é a resposta necessária junto a sociedade civil, nos possibilita diagnosticar e mapear os atendimentos realizados para a população negra no Brasil”, ressalta.

Em resposta à coletiva de imprensa realizada no hall do ministério, o Secretário afirmou ainda que o lançamento da campanha é um avanço para a promoção da igualdade racial no país e fomento da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra. “Essa política para nós é motivo de muita alegria. Esse lançamento é muito importante para nos ajudar a orientar e explicar para prefeitos e governadores a importância de se criar uma politica estadual ou municipal integral para a população negra. Somos maioria no país, mas ainda há o desconhecimento das doenças que nos afetam por causa da nossa etnia.

A Secretária de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, Gerlane Baccarin, ressalta que o lançamento da campanha engrandece o Sistema Único de Saúde e que a intenção para 2018 é oferecer um atendimento mais igualitário por meio dos princípios basilares do SUS que prevê a equidade e a integralidade da população negra. “Estamos tentando integrar essa população hoje em situação de desigualdade dentro do nosso sistema”.

De acordo com a secretária, o terceiro plano operativo de ação para a promoção da Política Nacional Integral de Saúde da População Negra busca promover esse acesso a população reduzindo a iniquidade hoje existente. Essa promoção será feita através de capacitação dos profissionais da saúde nas áreas onde se registra o maior registro da população negra no Brasil. Uma outra ação a ser executada é o preenchimento das lacunas existentes referentes a falta de conhecimentos específicos e incentivo de pesquisas na busca da cura das doenças que incidem sobre a população negra.

Os recursos para execução da campanha, já estão todos orçados dentro do plano de ação do Ministério da Saúde, dos ministérios parceiros e das secretarias que trabalham dentro da transversalidade que prevê o sistema. “O orçamento previsto somente dentro da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa é de dois milhões e setecentos mil reais para capacitação de gestores, cinco milhões previstos para investimentos em pesquisas e mais 13 milhões destinados ás corporações do Corpo de Bombeiros Militares que farão a capacitação direta da população negra, assim como a população em vulnerabilidade”, destaca a Secretária.

SUS de braços abertos para a população negra – Anemia falciforme, glaucoma, diabete mellitus (tipo II), hipertensão arterial, hepatites virais, hepatite A, sífilis e deficiência de glicose são algumas das principais doenças que atingem a população negra que representa 67% do público atendido pelo SUS.

Lançada em 2009, a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra tem como principais eixos de trabalho: a mortalidade materna, juventude negra e a violência. Em 2017 foram realizadas Oficinas Técnicas de Médicos nas cidades de Salvador, São Paulo e Brasília com o objetivo de promover a equidade em saúde. A proposta é consolidar um mapeamento de experiências e estudos em torno da saúde da população negra.

Compartilhar

Desenvolvido com o CMS de código aberto Plone