Você esta aqui Home Notícias 2017 Outubro Acesso a serviços especializados de nefrologia para a pessoa idosa é tema de encontro entre secretária e chefe de transplantes da USP

2017

Outubro

Acesso a serviços especializados de nefrologia para a pessoa idosa é tema de encontro entre secretária e chefe de transplantes da USP

Acesso a serviços especializados de nefrologia para a pessoa idosa é tema de encontro entre secretária e chefe de transplantes da USP

Secretária Socorro Morais e doutor Elias Neto se reuniram para tratar sobre avanços no atendimento a pacientes renais crônicos.

30/10/2017

A secretária nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), Maria Socorro Medeiros de Morais, esteve reunida na manhã desta segunda-feira (30), em São Paulo, com o Doutor Elias David Neto, que é chefe do serviço de transplante do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

O encontro teve como pauta a Portaria 389/16 do Ministério da Saúde, que regulamenta e visa facilitar o acesso das pessoas idosas aos serviços especializados de nefrologia.  Atualmente, conforme dados apurados pelo ambulatório de nefrologia da USP, 47% da população de renais crônicos de São Paulo são pessoas idosas, e muitos pacientes não têm acesso ao serviço especializado.

Para a secretária da Pessoa Idosa, Socorro Morais, mesmo com a portaria que regulamenta o acesso aos pacientes crônicos, são necessárias políticas municipais que definam com eficácia esse fluxograma. “Todas as pessoas idosas merecem viver com dignidade e ter acesso a serviços que lhes garantam o direito à vida”, enfatiza.

Cerca de 58% dos pacientes portadores de insuficiência renal são pessoas idosas, com 60 ou mais anos, segundo a USP. A insuficiência renal é uma das complicações da hipertensão arterial e/ou diabetes, consideradas doenças muito prevalentes entre os adultos jovens que quando mal acompanhadas termina comprometendo os rins. Um número considerável de pacientes renais crônicos morre antes mesmo de terem acesso ao serviço de tratamento de alta complexidade, segundo a Secretária, que também é médica por formação.

Participou também da reunião, o médico Dimitri Gabriel Homar, que também atua e defende os direitos da pessoa idosa.

Compartilhar

Desenvolvido com o CMS de código aberto Plone