Notícias

MDH participa da entrega do Prêmio Carlota Queirós

publicado: 30/11/2018 11h02, última modificação: 30/11/2018 11h02
MDH participa da entrega do Prêmio Carlota Queirós

O Ministério dos Direitos Humanos (MDH), por meio da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres, prestigiou a sessão solene de entrega do Diploma Mulher-Cidadã Carlota Queirós realizado na quinta-feira, (29), na Câmara dos Deputados, em Brasília.

A homenagem foi concedida a mulheres que contribuíram para o pleno exercício da cidadania e para a defesa dos direitos da mulher e das questões de gênero no Brasil. Durante a sessão foi destacado o trabalho das 5 agraciadas com o prêmio. A cerimônia foi conduzida pela presidente da Comissão da Mulher, deputada Ana Perugini, que destacou ser esta uma ação dos 16 dias de ativismo, visando o reconhecimento e empoderamento das mulheres.

A secretária Nacional de Políticas para Mulheres, Andreza Colatto, destacou em seu discurso, no plenário Ulysses Guimarães, a importância de se fortalecer as políticas públicas para mulheres e relembrou a importância das denúncias no processo de enfrentamento à violência contra as mulheres. Na ocasião, parabenizou as parlamentares pelos avanços conquistados na última quarta-feira, quando a bancada feminina da Câmara dos Deputados conseguiu aprovar 4 projetos de lei que beneficiam as mulheres.

Foram homenageadas na solenidade: Marielle Franco (in memoriam). Marielle era socióloga, feminista e defensora dos direitos humanos. Eleita vereadora na cidade do Rio de Janeiro em 2016, cargo que exerceu até março de 2018, quando foi assassinada.

Alzira Soriano  (in memoriam) . Alzira foi a primeira prefeita eleita no Brasil e na América Latina. Tomou posse na prefeitura de Lajes (RN) em 1º de janeiro de 1929.

Ana Cristina Ferro Blasi. Ela foi juíza do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina e responsável pela campanha “Mulheres na política, elas podem, o Brasil precisa”.

Mônica Spada e Sousa. Diretora-executiva da Maurício de Sousa Produções, lançou o projeto “Donas da Rua” em 2016, em parceria com a ONU Mulheres, para estimular o empoderamento e a igualdade de oportunidades.

Renata Gil de Alcântara Videira, juíza responsável pela organização do prêmio “Amaerj (Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro) Patrícia Acioli de Direitos Humanos”, que já premiou diversas ações relativas aos direitos da mulher e questões de gênero.

Prêmio - Conferido anualmente pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados. O prêmio foi criado há 14 anos, em reverência à médica, escritora, pedagoga Carlota Pereira de Queirós, primeira mulher brasileira a votar e ser eleita deputada federal.

 

registrado em:
Reportar erro