Notícias

Projeto sobre os direitos humanos enriquece o patrimônio cultural de Brasília

publicado: 08/11/2018 18h15, última modificação: 09/11/2018 15h36

Com a participação do ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, a inauguração do painel principal do projeto “Inscrever os Direitos Humanos”, em Brasília, ocorrerá no próximo dia 22 de novembro, às 10h, na entrada da Estação do Metrô Galeria dos Estados. A ação visa deixar um legado para o patrimônio cultural da cidade, a partir da produção de painéis que celebram os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) e a instalação destas obras em espaços públicos. Os azulejos foram pintados com desenhos realizados pelos alunos de duas escolas públicas do Distrito Federal, além das parcerias com o Governo de Brasília, que cedeu os locais de exposição, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e a Associação Inscrire.

“Ao promover esta atividade, o Ministério dos Direitos Humanos (MDH) não apenas observa as diretrizes que norteiam o Terceiro Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) e o Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (PNEDH), como também reforça os princípios para uma educação em cidadania global, que fortalece o respeito à diversidade, com base na solidariedade e nos direitos universais”, afirma a coordenadora-geral de Educação em Direitos Humanos do ministério, Adriana Escorse.

Por meio de concurso, o projeto selecionou desenhos para compor o maior painel, realizado com a técnica de azulejos. A obra terá, aproximadamente, 110 m². Cada uma das escolas participantes também receberá a instalação de um painel menor, com 6 m².

Parceria

As atividades do projeto “Inscrever os Direitos Humanos” estão sendo executadas pela Associação Inscrire, fundada pela artista plástica Françoise Schein. O principal objetivo é promover a reflexão dos direitos humanos por meio de intervenções artísticas, integradas ao cenário urbano e criadas de forma participativa.

A artista e sua equipe produziram painéis sobre o tema dos direitos humanos em várias cidades, entre elas, Rio de Janeiro, São Paulo, Paris, Nova Iorque, Lisboa, Porto, Estocolmo, Berlim, Brême, Haifa, Barcelona, Bruxelas, Ramallah, Montevideo, Port-au-Prince e Vienna. Em cerca de 18 países, mais de 100 grandes intervenções artísticas e 12 mil pessoas estiveram diretamente envolvidas nas atividades, no decorrer de quase 30 anos.

Além disso, a associação criou uma “Pedagogia de Ensino dos Direitos Humanos” na qual, por meio da arte, alunos e educadores são mobilizados para a reflexão e a produção de desenhos relacionados aos artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH).

Reportar erro