Notícias

Ministra e CNV anunciam medidas para exumação do corpo do ex-presidente João Goulart

publicado: 25/07/2013 09h08, última modificação: 14/05/2018 23h29

A ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, e a coordenadora da Comissão Nacional da Verdade, Rosa Cardoso, anunciaram nesta terça-feira (9), em Brasília (DF), a metodologia de trabalho para fins de exumação do corpo do ex-presidente João Goulart.

"É um dever do Estado brasileiro esclarecer as circunstâncias da morte do presidente João Goulart", afirmou a ministra.

O anúncio ocorreu logo após reunião com representantes do Instituto João Goulart, Polícia Federal, Ministério Público, Cruz Vermelha e peritos argentinos e uruguaios, que irão auxiliar nos trabalhos.

Serão duas as principais linhas de atuação: pedidos de informações junto aos países do Cone Sul e aos Estados Unidos relativas ao caso e investigações periciais de cunho técnico e histórico.

Responsável pela coordenação das investigações periciais, o perito da Polícia Federal Amaury de Souza Júnior informou que já no início de agosto será realizada a visita de reconhecimento dos peritos ao cemitério de São Borja (RS), onde está o corpo do ex-presidente João Goulart.

Para a coordenadora da Comissão Nacional da Verdade, o objetivo é que a perícia técnica se some às demais investigações, incluindo as documentais e testemunhais. "Nossas suspeitas são de que o ex-presidente tenha sido assassinado dentro de uma política de extermínio de lideranças políticas da região", afirmou.

A reunião também contou com o apoio do Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul (MPF-RS), que é responsável pelo inquérito civil público sobre o caso.
Assessoria de Comunicação Social
Reportar erro