Notícias

Casa da Mulher Brasileira de Boa Vista/RR contará com equipe da ONU Mulheres

publicado: 04/12/2018 15h14, última modificação: 04/12/2018 15h15
CMB

Foi realizada nesta segunda-feira (03), a cerimônia de inauguração da Casa da Mulher Brasileira de Boa Vista (RR), localizada na região central do bairro São Vicente. A abertura oficial da Casa foi conduzida pela secretária nacional de Políticas para Mulheres do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), Andreza Colatto, e a secretária do Trabalho e Bem-Estar Social do estado, Emília Campos. Em discurso, as representantes do Governo Federal e estadual destacaram a importância da instalação da unidade no estado, que apresenta os maiores índices de violência contra a mulher no Brasil, de acordo com o Mapa da Violência.

A novidade fica por conta da parceria estabelecida com a ONU Mulheres, que disponibilizou uma equipe multidisciplinar formada por profissionais da área jurídica, psicossocial e autonomia econômica. “O reforço oferecido pela ONU Mulheres surge no momento importante, de alta migração, e de crescente violência contra as mulheres em Roraima. A expectativa é que a Casa da Mulher Brasileira seja um instrumento de fortalecimento da política de enfrentamento à violência na região”, ressaltou Andreza Colatto.

A Casa de Boa Vista também receberá um laboratório de informática que faz parte do programa Centros de Recondicionamento de Computadores (CRC) do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação (MCTIC). OS 10 computadores serão utilizados para promover autonomia econômica, por meio de qualificação profissional, a ser realizada em turmas presenciais e EAD (educação a distância).

O equipamento faz parte do Programa Mulher, Viver Sem Violência. Trata-se da primeira unidade da Região Norte e visa atender mulheres em situação de violência. O serviço representa um investimento de 18 milhões de reais, por parte do Governo Federal. Deste montante, 10 milhões foram utilizados para construção e compra de equipamentos, e o saldo restante será aplicado na manutenção, a ser realizada pelo governo estadual pelos próximos dois anos.

A Casa da Mulher Brasileira é uma inovação e agrega no mesmo espaço parte significativa da rede de enfrentamento à violência. A exemplo do Juizado Especial, Núcleo Especializado da Promotoria, Núcleo Especializado da Defensoria Pública, Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher. A Casa conta ainda com alojamento de passagem, brinquedoteca, apoio psicossocial e capacitação para a autonomia econômica.

CMB’s nos municípios - A Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres do Ministério dos Direitos Humanos (SNMP/MDH) desenvolveu projetos de menor porte para instalação de Casas da Mulher Brasileira nos pequenos municípios. Agora serão quatro tipos, que atendem uma escala de municípios com 100 mil habitantes até capitais com mais de 1 milhão de habitantes. O novo formato permite a construção com apenas 500 mil reais.

A proposta visa atender o público do interior, que ainda enfrenta dificuldade para ter acesso aos serviços. A captação de recursos para o orçamento de 2019 incluiu estes projetos, inclusive por meio de parlamentares que destinaram emendas para a construção de casas menores.

Reportar erro