Notícias

Quilombolas e indígenas de todo país terão direito a 2,5 mil novas bolsas do Programa Bolsa Permanência

publicado: 15/06/2018 00h00, última modificação: 15/06/2018 15h56
O ministro de Direitos Humanos, Gustavo Rocha comemora o avanço na política de educação escolar quilombola e indígena e ressalta que a medida ampliará o diálogo entre professores, sociedade civil e Estado.
Quilombolas e indígenas de todo país terão direito a 2,5 mil novas bolsas do Programa Bolsa Permanência

Quilombolas e indígenas de todo país terão direito a 2,5 mil novas bolsas para estudantes do ensino superior para o Programa Bolsa Permanência.

O ministro de Direitos Humanos, Gustavo Rocha comemora o avanço na política de educação escolar quilombola e indígena e ressalta que a medida ampliará o diálogo entre professores, sociedade civil e Estado. “Destacamos a competência do Ministério da Educação, mas agora cabe mobilizar estados e municípios para a execução da educação como fortalecimento do respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais”, ressalta o ministro.

A iniciativa servirá como um respaldo para as políticas públicas de educação monitoradas e executadas pela Seppir para jovens negros e negras, assim como a implementação das consultorias e convênios firmados com organismos internacionais e a contribuição para o Plano Juventude Viva.

“O trabalho da Seppir está em garantir o acesso e a permanência de estudantes negros e negras em todas as etapas da educação e a política de cotas raciais no ensino superior. Juntos com a  participação social intensa de quilombolas e indígenas garantimos a permanência e o fortalecimento do Programa”, destaca Secretário Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Juvenal Araújo.

Confira a portaria que autoriza a abertura de novas inscrições ao Programa Bolsa Permanência em 2018. 

 

Com informações do Ministério da Educação e Agência Brasil

Reportar erro
registrado em: ,