Notícias

Ministra assina parceria para estimular programas de empreendedorismo voltados às comunidades tradicionais

publicado: 03/04/2019 18h05, última modificação: 03/04/2019 18h06
Assinatura de protocolo

Foto: Assessoria da liderança do governo no Congresso

Na manhã desta quarta-feira (03), a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, assinou um protocolo de intenções com o Instituto Brasil 200, em Brasília. O documento marca o início de uma parceria que possibilitará a implementação de um programa de estímulo ao empreendedorismo e ao cooperativismo em comunidades tradicionais, como quilombolas, ciganos, povos de terreiro e indígenas.

“O nosso índio tem o direito de ser próspero, os nossos ciganos têm o direito de ganhar mais dinheiro, os povos de quilombo e matriz africana precisam se beneficiar com esse tipo de projeto. Esse é o governo que vai alcançar os invisíveis. Esta parceria chega na hora certa e é a primeira de muitas”, comemorou a ministra.

Representaram o Instituto Brasil 200 a presidente do Conselho Deliberativo e deputada federal, Joice Hasselmann, e o presidente executivo da instituição, Gabriel Kanner. Pelo ministério, o protocolo também foi assinado pela secretária nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Sandra Terena.

Igualdade racial

A secretária Sandra explicou que existem demandas das comunidades para esse tipo de iniciativa. “Vamos dar condições para qualificar o trabalho já desenvolvido pelas comunidades tradicionais, potencializando o que cada uma delas tem a oferecer”, ressalta.

“Nos próximos meses devem ser iniciados projetos-piloto construídos pela Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) e Brasil 200, em comum acordo com as lideranças dessas comunidades”, completa a secretária.

Instituto

Para a deputada federal e presidente do Conselho Deliberativo do Instituto, Joice Hasselmann, o objetivo consiste em gerar emprego e renda para os integrantes de comunidades tradicionais, além de promover capacitações.

“Nós queremos fazer esse trabalho junto com o ministério para capacitar e estimular esse empreendedorismo, ou seja, para dar liberdade para que estas pessoas de fato possam caminhar com as suas próprias pernas, para que possam produzir e possam ter a sua autoestima elevada. Essa é uma marca do nosso governo Bolsonaro”, afirmou a parlamentar.

Reportar erro