Notícias

Realizada a primeira capacitação no âmbito do Primeiro Programa Viver – Envelhecimento Ativo e Saudável

publicado: 03/04/2019 18h48, última modificação: 03/04/2019 18h49
Capacitação

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), por meio da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (SNDPI), realizou o primeiro Curso de Capacitação do Programa Viver – Envelhecimento Ativo e Saudável, nesta terça-feira (02), em Brasília. A atividade foi voltada para representantes de Brasília/DF, Betim/MG, Formiga/MG, Parnamirim/RN e Balneário Camboriú/SC, os cinco primeiros municípios selecionados para a implantação piloto da ação.

Para a ministra Damares Alves, “esse é o começo de um grande Programa, uma política pública criada para mobilizar o país, integrar e estruturar parcerias, na perspectiva da promoção dos direitos da pessoa idosa”.

Neste contexto, o secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, Antonio Costa, ressaltou a importância de fortalecer as parcerias com órgãos governamentais e sociedade. “Queremos unir forças para implementar o Estatuto do Idoso em plenitude, e cumprir com as recomendações internacionais para um envelhecimento ativo e saudável”, acrescentou.

Na ocasião, o secretário divulgou, ainda, o próximo lançamento da SNDPI. “Vamos levar a proposta do Fundo Nacional do Idoso para ser aplicada em todo o país. Nesta semana ainda vamos buscar novos recursos que estão locados no Fundo Nacional para que no ano de 2019 possamos investir nos municípios”, disse.

O evento contou com a organização da coordenadora-geral do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa (CNDI), Eunice Silva, e da coordenadora do Sistema de Informação e Acompanhamento de Projetos da secretaria, Andrea Silva. Pela SNDPI, também esteve presente a coordenadora-geral do Sistema de Informação e Acompanhamento de Projetos, Kelly Andrade.

Completam a lista de participantes, a coordenadora nacional de Saúde da Pessoa Idosa do Ministério da Saúde, Maria Cristina Hoffman, e a gestora do Programa Universidade do Envelhecer da Universidade de Brasília (UnB), Margô Karnikowski.

Os temas trabalhados incluíram a inserção digital; educação, em especial, a financeira; saúde; mobilidade física e prestação de contas.

Conselho

A coordenadora-geral do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa (CNDI), Eunice Silva, abriu o curso falando sobre a inserção digital da pessoa idosa. Segundo ela, “a exclusão digital do idoso assemelha-se ao analfabetismo, pois limita suas habilidades no cotidiano.”

“A pessoa idosa quer participar, ter voz, ser protagonista dos momentos de atividades negociais, de lazer e, claro, em seu convívio social”, defendeu. “A perspectiva do Programa Viver é apoiar a pessoa idosa para uma vida independente e autônoma, preservar sua dignidade e promover seus direitos”, concluiu.

Certificados

Ao final do evento, o secretário Antônio Costa realizou a entrega dos certificados da capacitação, conscientizando os presentes sobre a necessária mobilização social e divulgação do Programa Viver em seus municípios e para além destes.

Reportar erro