Notícias

Secretária Angela promove pautas de valorização da família durante evento da ONU, em Nova Iorque

publicado: 08/04/2019 20h47, última modificação: 11/04/2019 15h24
Evento da ONU em Nova Iorque

A secretária nacional da Família, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Angela Vidal Gandra, participou da 52ª Sessão da Comissão para População e Desenvolvimento da Organização das Nações Unidas (ONU). O evento foi realizado nos últimos dias 1º a 05, em Nova Iorque/EUA.

Um dos principais objetivos da atividade consistiu em discutir a ajuda voltada às famílias em situação de vulnerabilidade, para além de atenuar as necessidades mais urgentes, mas visando melhorar a situação de forma sustentável. Na oportunidade também foram tratadas pautas sobre o papel da educação para prevenir a vulnerabilidade familiar.

“Estamos promovendo o acesso ao ensino secundário e superior. Da mesma forma, estamos determinados a fornecer as bases legais para atender à crescente demanda por educação domiciliar no Brasil, reconhecendo o direito dos pais de escolher o sistema de educação para seus filhos”, afirmou a secretária.

Na ocasião, a representante do MMFDH destacou que “como afirmou a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, o governo Bolsonaro tem como principal premissa a inclusão de todos os brasileiros.”

“Um forte alvo desse Ministério é a projeção social, econômica e profissional das mulheres e o equilíbrio entre trabalho e família. O órgão também visa promover os direitos das mulheres na sociedade brasileira, principalmente as que se encontram em grupos mais vulneráveis, a fim de se combater o feminicídio”, completou a secretária.

Observatório

Angela acrescentou que, em nível de elaboração de politicas públicas e atuação ministerial, foi "criado um Observatório da Família para poder trabalhar com evidências e corresponder às expectativas da família de formular políticas públicas sólidas". Ela afirmou, ainda, que ter "o foco especial na família pretende fortalecer sua estrutura e as relações dentro dela, partindo de sua liberdade e autonomia".

"Estamos convencidos de que investir nas famílias é garantia de uma sociedade mais harmônica, pacífica e desenvolvida. Em vez de lidar com vários problemas sem fim, queremos trabalhar em soluções eficazes, fundamentadas em uma base essencial", concluiu.

Reportar erro