Notícias

Seppir apresenta ações da pasta na celebração dos 100 dias de governo

publicado: 15/04/2019 19h51, última modificação: 15/04/2019 19h53
100 dias

Na manhã desta sexta-feira (12), por ocasião dos 100 dias de governo, os titulares das oito Secretarias que compõem o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) apresentaram as ações das respectivas áreas em evento promovido pelo órgão. Na oportunidade, a secretária de políticas de Promoção da Igualdade Racial, Sandra Terena, ressaltou as políticas públicas implementadas pela Seppir.

“Vale a pena ressaltar a assinatura de um termo de intenções com o Instituto Brasil 200, que tem o objetivo de levar empreendedorismo para os quilombos e aldeias indígenas, visando à valorização da cultura e comercialização do artesanato. Outro projeto que merece destaque é o de levar água potável ao semiárido nordestino por meio de cisternas. A prevenção ao suicídio em áreas indígenas, principalmente entre os jovens também foi um tema importante para a pasta neste período”, afirma a secretária.

Cisternas

Em sua fala no evento, Sandra Terena destacou a contratação de parceiros para realizar a instalação de cisternas em 3.744 domicílios brasileiros a partir de abril de 2019. As cisternas deverão ser instaladas em 140 domicílios da comunidade quilombola Kalunga e em 3.704 domicílios do semiárido nordestino.

Representação indígena

A secretária aproveitou para relatar à ministra Damares Alves e aos demais presentes sobre um discurso que ouviu de uma senhora indígena da Argentina — em sua recente visita ao Uruguai para o Encontro Regional entre Representantes de Organizações de mulheres Afrodescendentes e Indígenas do Mercosul e de integrantes da Reunião de Ministras e Altas Autoridades da Mulher (RMAAM), Reunião de Autoridades sobre Povos Indígenas (RAPIM) e Reunião de Ministros e Altas Autoridades sobre os Direitos dos Afrodescendentes (RAFRO).

Segundo a representante da Seppir, a senhora falou sobre sua alegria em saber que uma representante do Governo Federal brasileiro é indígena, além de ter exposto seu desejo de que, no próximo Encontro, outros países sigam o exemplo do governo brasileiro e tenham representantes indígenas.

Reportar erro