Notícias

Ministros visitam Marajó por desenvolvimento do turismo na região

publicado: 25/08/2019 21h40, última modificação: 28/08/2019 16h01
Ministros visitaram projeto social na praia do Pesqueiro, em Soures/PA. (Foto: Willian Meira/AscomMMFDH)

Ministros visitaram projeto social na praia do Pesqueiro, em Soures/PA. (Foto: Willian Meira/AscomMMFDH)

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, e o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, visitaram neste domingo (25) as cidades de Breves e Soure, no arquipélago do Marajó, norte do Pará, para o início de estudos sobre o potencial turístico da região. Na agenda, encontros com prefeitos e visita a atrações naturais e culturais.

É a segunda passagem da ministra na região no último mês e meio. Na última visita, em 12 de julho, Damares Alves lançou o projeto Abrace o Marajó, que nasceu para o enfrentamento à violência sexual e foi ampliado para a realização de ações pelo desenvolvimento territorial.

“Temos aqui uma cultura rica e que precisa ser conhecida, não somente pelo restante do país, como por todo o mundo. E queremos que essa região se desenvolva, o povo tenha acesso a emprego, à informação, à presença do Estado. Dessa forma, podemos ampliar nossas ações para proteger mulheres, crianças e outros grupos vulneráveis”, disse a ministra.

O ministro Marcelo Álvaro Antônio destacou o encantamento que teve quando sobrevoou a região em seu deslocamento até a cidade. “Aqui tem uma vocação turística das mais belas do Brasil. O turismo de natureza, o ecoturismo, de pesca esportiva são os que mais devem crescer nos próximos dez anos e precisamos ter uma atenção especial com Marajó, disse.

A agenda começou em Breves, em encontro com prefeitos da região da região. Na ocasião, o presidente da Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó (Amam), Nilson Farias, destacou a importância da presença dos ministros, que para ele demonstra a disposição do governo federal.

“Esse olhar carinhoso para com nosso Marajó muito nos orgulha. Temos um povo que muito sofre, mas que toda a certeza quer trabalhar, quer dignidade e que quer trabalhar para melhorar a própria vida”, destacou.

A ministra adiantou que a região deve receber uma visita presidencial. “Estamos organizando uma visita do presidente Bolsonaro. Vamos apresentar inúmeras ações pra essa região nos próximos dias. Todos os ministros estão preparando grandes projetos. O Abrace o Marajó será um programa de governo”, afirmou Damares Alves.

Após o encontro com o prefeito, a comitiva se deslocou a Soure, para visitar algumas rotas turísticas oferecidas aos visitantes. Primeiro, os ministros estiveram na Praia do Pesqueiro, onde foram recebidos por membros de projetos sociais locais.

Depois, seguiram para a Fazenda Mironga, que fabrica o Queijo de Marajó, um produto artesanal que é feito há mais de 200 anos no arquipélago. Eles conheceram a criação de búfalos da fazenda e trataram de possíveis melhorias para o turismo e a economia locais.

Em seguida, conheceram a fábrica de cerâmica marajoara, que produz a mais antiga dentre as artes em cerâmica do Brasil. Uma das maiores riquezas da cultura do Norte brasileiro, mundialmente reconhecida.

Embarcações

Os ministros Marcelo e Damares visitaram, em ambas as cidades, importantes navios da Marinha. Em Breves, estiveram no Garnier Sampaio, embarcação que é famosa por levar a imagem da santa no Círio de Nazaré, evento internacionalmente conhecido.

Em Soure, visitaram o navio-patrulha Bracuí, onde o ministro do Turismo recebeu o livro "Amazônia Azul" das mãos do vice-almirante Newton de Almeida Costa Neto, comandante do 4º Distrito Naval, no Pará.

Os ministros continuam no Pará nesta segunda-feira (26), quando, em Belém, lançam o Investe Turismo no Estado, programa que visa reunir atores públicos e privados envolvidos nos projetos de gestão integrada e qualificação da rota “Belém, Ilha do Marajó, Santarém e Alter do Chão”.

Haverá, ainda, a assinatura de termo com a Marinha para a construção do Espaço da Mulher Brasileira em embarcação da Marinha.

Assista o vídeo abaixo: 

Reportar erro