Notícias

Nova secretária executiva do MMFDH prioriza entregas para a população

publicado: 19/08/2019 18h21, última modificação: 19/08/2019 18h21
Nova secretária executiva do MMFDH prioriza entregas para a população

Foto: Willian Meira - MMFDH

“Meu objetivo é assistir a ministra Damares Alves na definição das diretrizes e na supervisão e coordenação das atividades das Secretarias, além de apoiá-la para que as ações do Ministério se concretizem como entregas na ponta e sejam de fato sentidas por nossa população”. Com essa proposta, Tatiana Alvarenga assume a Secretaria Executiva do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). A posse da gestora foi realizada no último dia 07.

Tatiana é economista, com especialização em “Formulação de Políticas Públicas Sociais” e “Gestão Pública e de Sistemas e Serviços de Saúde” e cursos nas áreas de “Gestão por Competências e Governança de Resultados” e “Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância”. Nascida em Brasília, a secretária agrega conhecimentos acadêmicos e profissionais às experiências de vida e superação pessoal, em grande parte possíveis pelas oportunidades de acesso a políticas públicas.

Neste contexto, ela destaca que as políticas sociais e de direitos humanos são essenciais para prevenir violações de direitos e combater desigualdades. “Para mim é uma emoção estar neste Ministério e, ciente da grande responsabilidade, usarei ao máximo a experiência que adquiri no trajeto profissional com política pública e social, não apenas em termos de assistência, mas para retirar e minimizar a vulnerabilidade social, fazendo inclusão social e produtiva visando quebrar círculos intergeracionais de exclusão e de pobreza, protegendo as pessoas da violação dos seus direitos”, observa.

"Eu vivi isso na minha história pessoal. Conquistei muito com o apoio do Estado, mas a depender da liderança de governo, enfrentei também grandes dificuldades ante um Estado ausente ou ineficiente. Por isso queremos Políticas de Estado sólidas. Queremos deixar um legado em termos de políticas públicas e proteção de direitos, cumprindo de fato o papel deste Ministério tão heroicamente almejado por nossa ministra Damares”, ressalta.

Ações

Quanto às prioridades, a secretária destaca a necessidade de fortalecimento da capacidade institucional e de gestão do Ministério, para além do cumprimento da missão do órgão. Ela cita que é primordial investir na ampliação e fomento de parcerias interinstitucionais efetivas e sustentáveis, bem como na aproximação com os órgãos do Executivo em geral e dos demais Poderes.

“Enquanto Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, precisamos de toda a Esplanada. Mas precisamos ir além dos ministérios. Por isso eu pretendo trabalhar muito nessa articulação com o Executivo federal, Legislativo, Judiciário e também com estados e municípios, sociedade civil e empresas privadas e estatais. Precisamos de todo o suporte de órgãos da Administração Pública e empresas privadas. Nós temos que fazer uma grande rede em prol da nossa meta de consolidar direitos e prevenir a violação deles”.

A gestora enfatiza, ainda, que é preciso buscar formas de dar sustentabilidade às ações estratégicas. “Temos que buscar tanto a otimização do uso dos recursos internos quanto buscar outros recursos por meio de parcerias. Quero trabalhar muito para buscar financiamento e sustentabilidade das ações estratégicas, mostrando que somos um Ministério efetivo e que muda realidades”, afirma.

Para complementar, Tatiana ressalta a importância de reafirmar o compromisso do MMFDH com o plano de governo do presidente Bolsonaro. “Seguir o caminho da prosperidade, nos três eixos – constitucional, eficiente, fraterno. A ideia agora é perseguir a missão, a visão e os valores do Ministério. Isso tudo visando trazermos mudança para a nossa população”, conclui.

Currículo

Tatiana Alvarenga possui duas décadas de experiência na área de gestão pública, dos quais 16 anos na Administração Pública Federal em posições de gestão, liderança e, nos últimos três anos, na alta direção do Poder Executivo. Ela tem atuação com impactos positivos, utilizando estratégias e habilidades para articulação interinstitucional com gestores de órgãos do governo, parceiros privados, parlamentares e gestores públicos estaduais e municipais.

Reportar erro