Notícias

MMFDH realiza missão em Salvador/BA para reforçar diálogo com a população e instituições voltadas às mulheres

publicado: 17/07/2019 14h53, última modificação: 17/07/2019 15h13
SNPM em Salvador

Nestas segunda e terça-feira (15 e 16), o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), por meio da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres (SNPM), esteve em missão na capital baiana em busca de boas práticas, diálogo e parceria. A programação, organizada pela Secretaria Municipal de Políticas para Mulher, Infância e Juventude (SPMJ), incluiu a participação no lançamento do programa municipal “Marias na Construção” e visita a uma casa de acolhimento, além de diálogos com comunidades quilombolas, policiais, organizações não governamentais (ONGs), Ronda Maria da Penha.

As atividades foram iniciadas com o lançamento do programa municipal “Marias na Construção”. A cerimônia teve a participação da secretária nacional de Políticas para Mulheres, Cristiane Britto. Na oportunidade, a gestora demonstrou apoio à iniciativa que visa estimular independência econômica das mulheres soteropolitanas, por meio de cursos de capacitação relacionados à construção civil. “Entendemos que se trata de uma política pública que permite autonomia econômica e pode ser expandida para o país”, afirmou.

Ainda durante o evento, a secretária destacou a importância da promoção da autonomia econômica no processo de interrupção do ciclo da violência, vivenciado por muitas mulheres no Brasil.

Agenda

Finalizada a primeira etapa da programação, a equipe da SNPM seguiu para a coleta de informações no Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce. O espaço funciona como uma espécie de casa abrigo que acolhe e apoia mulheres em situação de violência.

Na ocasião, a secretária conversou diretamente com mulheres que estão recebendo apoio da instituição. Outras duas boas práticas foram apresentadas à equipe SNPM, em visitas especiais - a Ronda Maria da Penha e o espaço Subúrbio 360. O primeiro, em linhas gerais, oferece suporte às mulheres em situação de risco eminente de feminicídio, por meio de visitas de equipe especializada da Polícia Militar. Já o projeto Surbúrbio 360 é uma ferramenta de estímulo à cultura e à geração de emprego e renda, por meio de um espaço que oferece aula de música, culinária, dança e arte.

Políticas públicas

A missão em Salvador seguiu o caminho do diálogo e do processo de gestão compartilhada. A equipe SNPM dialogou com parlamentares, em visita à Câmara Municipal de Salvador, além de participar de sessão plenária e estreitar o relacionamento com a Comissão da Mulher. A presidente da Comissão, Ireuda Silva, e a vereadora Lorena Brandão recepcionaram a secretária nacional, apresentando os trabalhos desenvolvidos. Cristiane Britto recebeu ainda projetos de lei e algumas demandas em prol das mulheres, por meio do deputado estadual Jurailton Santos e pelo deputado federal Márcio Marinho.

A segunda-feira foi encerrada com uma roda de conversa, promovida pela SPMJ, que reuniu delegadas da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM), mulheres policiais e bombeiros militares, guardas civis, baianas de acarajé, plus size e do movimento Juntas Empoderemos. O encontro oportunizou debate das políticas públicas existentes, apresentação dos projetos do governo federal e discussões sobre enfrentamento à violência, saúde da mulher e autonomia econômica.

Na abertura da roda de conversa, a titular da SPMJ, secretária Rogéria Santos, explicou que o governo federal aceitou o convite para participar do lançamento do Marias na Construção e para conhecer de perto a realidade das mulheres de Salvador. A SNPM registrou todas as demandas e manifestações mencionadas na atividade, para encaminhamento.

Diálogo

O segundo dia da missão foi dedicado ao diálogo com a comunidade Quilombola da Ilha de Maré. Jovens e marisqueiras da região participaram de uma segunda roda de conversa para debater questões relativas à educação, saúde, violência, geração de emprego e renda. A secretária Cristiane Britto visitou, ainda, o Centro de Referência de Assistência Social da ilha e conheceu o trabalho da oficina de biojoias.

Reportar erro