Notícias

Ministério inaugura primeira unidade do Programa Viver de Fortaleza

publicado: 24/06/2019 18h50, última modificação: 25/06/2019 16h53
1 | 6
Fotos: Willian Meira - MMFDH
2 | 6
Willian Meira - MMFDH
3 | 6
Willian Meira - MMFDH
4 | 6
Willian Meira - MMFDH
5 | 6
6 | 6
Willian Meira - MMFDH
Ministério inaugura primeira unidade do Programa Viver de Fortaleza
Ministério inaugura primeira unidade do Programa Viver de Fortaleza
Ministério inaugura primeira unidade do Programa Viver de Fortaleza
Ministério inaugura primeira unidade do Programa Viver de Fortaleza
Ministério inaugura primeira unidade do Programa Viver de Fortaleza
Ministério inaugura primeira unidade do Programa Viver de Fortaleza

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), em parceria com a Prefeitura de Fortaleza/CE, inaugurou na manhã desta segunda-feira (24) a primeira unidade do Programa Viver – Envelhecimento Ativo e Saudável do estado. O projeto leva inclusão digital, educação financeira e assistência jurídica a pessoas idosas.

Na capital cearense, o programa foi instalado no Centro-Dia, no bairro Barra do Ceará, local destinado ao acolhimento dos idosos. Ali são promovidas atividades físicas e comunitárias. Ao final, todos retornam aos seus lares e ao convívio familiar.

De acordo com a ministra Damares Alves, o objetivo do governo federal é potencializar a iniciativa, que agora dá aos participantes a oportunidade de aprenderem a operar computadores, ao mesmo tempo em que os ajuda a usar melhor seus recursos financeiros e a se protegerem de golpes e fraudes.

“O programa é muito simples e tem baixíssimo custo. Mas ao mesmo tempo provoca um tremendo impacto na autoestima dessas pessoas. Muitos desses idosos terão contato com um computador e um celular pela primeira vez. Ter essa independência e saber mexer em tudo sozinho é libertador. É o resgate da alegria”, afirma.

Para o funcionamento da unidade, o governo federal doou 22 equipamentos, entre computadores, impressoras, projetores e webcams. Os recursos são provenientes de emendas parlamentares e do orçamento do ministério.

Ao município, fica a incumbência de destinar o local da instalação e a administração do programa, feita em parceria com membros da sociedade civil, voluntários e unidades de ensino públicas e privadas.

“O mais interessante é que envolvemos a comunidade nesse projeto e na proteção do idoso. Dependemos menos de iniciativas governamentais e, com isso, garantimos a continuidade do atendimento”, explica o secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa do ministério, Antonio Costa.

O Programa

Esta é a sexta unidade do programa inaugurada este ano. As demais estão instaladas e já funcionando em Betim/MG, Formiga/MG, Parnamerim/RN, Balneário Camburiú/SC e Ceilândia/DF.

Outras 34 serão inauguradas até o final de julho em oito estados: Amazonas, Rondônia, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Amapá. O objetivo do ministério é colocar em funcionamento ao menos 100 unidades até o final do ano.

Reportar erro