Notícias

Oficina debate fluxo de atendimento às vítimas de trabalho escravo

publicado: 27/06/2019 18h00, última modificação: 27/06/2019 18h24
Oficina debate fluxo de atendimento às vítimas de trabalho escravo

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), por meio da Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae), realizou nesta quarta-feira (26) a primeira Oficina para a construção de um fluxo nacional de atendimento às vítimas de trabalho escravo.

De acordo com o secretário nacional de Proteção Global do MMFDH, Sérgio Queiroz, entre os objetivos específicos da atividade, constou o estabelecimento de um fluxo de atendimento padrão que sirva como paradigma para os estados e municípios, proporcionando um atendimento mais especializado e sistematizado. “Além de uma sólida articulação com a rede de atendimento, em especial a assistência social com o devido acolhimento familiar, missão fundamental deste Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos”, completou.

A iniciativa é fruto de uma ação conjunta da Conatrae com as Comissões Estaduais para a Erradicação do Trabalho Escravo (Coetraes). Os trabalhos contam com a participação da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que está apoiando técnica e financeiramente a operacionalização do projeto, por meio de consultoria especializada. Para isso, serão utilizados os subsídios fornecidos pelo Grupo de Trabalho que foi formado no âmbito do V Encontro Nacional das Comissões Estaduais para a Erradicação do Trabalho Escravo, realizado em setembro de 2018.

Reportar erro