Notícias

Mulheres empreendedoras são o tema de mesa-redonda promovida pelo MMFDH

publicado: 14/05/2019 20h39, última modificação: 15/05/2019 16h18
Mulheres empreendedoras são o tema de mesa-redonda promovida pelo MMFDH

Foto: Willian Meira - MMFDH

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), por meio da Secretaria Nacional de Políticas Mulheres (SNPM), promoveu na manhã desta terça-feira (14) o encontro “Mulheres e Mães Empreendedoras”, em Brasília. Durante o evento foram homenageadas 20 mulheres empreendedoras, entre elas, representantes da cultura indígena, cigana e afro-brasileira.

Na oportunidade, a ministra Damares Alves destacou a importância de promover políticas públicas para a autonomia econômica das mulheres no processo de enfrentamento à violência. "Queremos ser um país no qual que as mulheres sejam respeitadas, protegidas, defendidas. Que a violência contra mulher seja coisa do passado. Estamos trabalhando para que o Brasil seja essa nação. O evento de hoje é uma iniciativa nesta direção, pois o empreendedorismo é um caminho para fortalecer as mulheres”, disse.

A secretária interina da SNPM, Rosinha Adefal, enfatizou a missão. "O empreendedorismo é um grande meio para interromper o ciclo de violência e a Secretaria está construindo políticas públicas para estimular a geração de emprego e renda entre as mulheres”.

Presente no evento, a embaixadora do El Salvador, Diana Vanegas, apresentou as melhores práticas adotadas pelo seu país em favor das mulheres, que vão desde modificações na legislação até programas voltados à saúde, participação das mulheres no mercado de trabalho e na política.

Autonomia

Representante da SNPM, a coordenadora-geral Roberta Monzini destacou, durante a palestra sobre “autonomia econômica”, a ligação estreita existente entre a eliminação da violência contra a mulher e a sua autonomia econômica. Também integrante da Secretaria, a diretora Morgana Macena apresentou ao público trabalho de mulheres em sua diversidade.

Confira a lista das homenageadas:

1 -  Ada Silva de Sousa – responsável pelo projeto “Ada Silva Capacitando Vidas”;
2 -  Agda Oliver – responsável pelo projeto “Oficina Mecânica para Mulheres”;
3 -  Ana Maria Amarante – defensora das causas das mulheres empreendedoras e idosas;
4 - Clotilde Chaparro – escritora e advogada atuante na área de enfrentamento à violência;
5 – Elizabete Diniz – idealizadora do projeto Batch Informática;
6 – Giordana Silva – líder cristã atuante na pauta de direitos humanos;
7 – Janaina Brito – responsável pela “Plus-Size”, fotógrafa e blogueira atuante nas pautas das mulheres;
8 – Juliana Martinelle – responsável pela startup “InovaHouse3D”;
9 – Kamiru Kamayurá – artesã indígena;
10 – Márcia Dornelles – consultora do Programa de Profissionalização da Gestão no Campo. 
11 – Marlene Soares – responsável pelo projeto Amor e Esperança (PROAME);
12 – Margarida Siqueira (Meg) – diretora de vendas e voluntária da Casa da Fraternidade José Caetano;
13 – Queren Hapuque – fundadora do Studio Afro;
14 – Quezia Santos – fundadora do Studio Afro;
15 – Selma Santos - fundadora do Studio Afro;
16 – Sonia Amaral (Cigana Calin) -  responsável pela empresa de confecção Sedução Cigana;
17 – Wenina Miranda – jornalista responsável pela Folha do Jalapão;
18 – Thereza Kubota – produtora rural;
19 – Sirlene Silva – quilombola mombuca, incentivadora do empreendedorismo feminino;
20 - Larissa Mesquita - CEO da Fouder Exames on-line.

Reportar erro