Notícias

Disque 100 e Ligue 180 recebem quase três mil denúncias no Carnaval

publicado: 18/03/2019 10h43, última modificação: 18/03/2019 10h43

Sob a responsabilidade do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), o Disque 100 (Disque Direitos Humanos) e o Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher) receberam o total de 2.869 denúncias no Carnaval deste ano. Os números são referentes a crimes como violência física, sexual, moral e psicológica.

“Os canais de denúncia representam o compromisso do Governo Federal com as políticas públicas de promoção dos direitos humanos. No que tange às políticas voltadas para as mulheres, ressalto a importância das ações específicas. Neste governo, todas nós temos voz e seremos ouvidas”, afirma a ministra Damares Alves.

Disque 100

Entre os dias 1º e 05 deste mês – período carnavalesco – o Disque 100 recebeu 1.317 denúncias, que resultaram em 2.562 violações registradas. Os tipos de violações com índices mais altos foram negligência (933), violência psicológica (663) e violência física (477).

O ouvidor nacional dos Direitos Humanos, Fernando César Ferreira, explica os números. “Em apenas uma ligação, várias violações podem ser comunicadas”, afirma.

O Disque 100 funciona diariamente 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. O serviço gratuito também pode ser acionado por meio do aplicativo Proteja Brasil.

A ferramenta pode ser considerada como “pronto-socorro” dos direitos humanos, pois atende também graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão em curso, acionando os órgãos competentes, possibilitando o flagrante.

Em 2018, o serviço registrou 1.733 casos no período, com 3.642 tipos de violações.

Ligue 180

Nos últimos dias 1º a 06, o Ligue 180 recebeu 1.552 denúncias. Entre os casos mais registrados, violência física (809), violência moral (285) e tentativa de feminicídio (114).

O canal gratuito funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. O serviço também pode ser acionado por meio do aplicativo Proteja Brasil.

“O Ligue 180 atua para além das fronteiras brasileiras, pois ele alcança a mulher brasileira vítima de violência em pelo menos 16 países, trabalhando com a prevenção, o apoio e amparo às vítimas de violência e refugiadas”, ressalta a secretária nacional de Políticas para Mulheres do ministério, Tia Eron.

Além de registrar denúncias de violações contra mulheres, encaminhá-las aos órgãos competentes e realizar seu monitoramento, o Ligue 180 também dissemina informações sobre direitos da mulher, amparo legal e a rede de atendimento e acolhimento.

Em 2018, o serviço recebeu 2.612 denúncias no Carnaval. Entre os relatos, violência física (1.311), violência psicológica (460) e ameaça (315).

Reportar erro