Notícias

No 08 de março, ministério lança campanha de enfrentamento à violência contra a mulher

publicado: 08/03/2019 10h59, última modificação: 09/03/2019 20h26

No Dia Internacional da Mulher, celebrado em 08 de março, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), por meio da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres (SNPM), lança a campanha “Salve uma mulher”. Com o objetivo de enfrentar a violência contra o público feminino, as ações visam conscientizar para a responsabilidade de todos na promoção dos direitos, em especial os profissionais que lidam com mulheres todos os dias, como os do campo da beleza.

“A campanha contará com profissionais da área da beleza, que poderão orientar suas clientes, considerando essa relação que muitas vezes é de confiança. Todos os casos de agressões devem ser denunciados. Por isso precisamos estar unidos nesse objetivo”, afirmou a ministra Damares Alves durante evento em Brasília.

A titular do MMFDH destaca que é necessário romper o ciclo da violência. “Pode começar com um xingamento, ou um empurrão, e acabar em agressão física ou morte. Por isso, nenhuma violência deve ser aceita, seja física, moral, patrimonial, sexual, psicológica. O ministério possui o Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher. Denunciem as agressões”, completa a ministra.

A campanha é inspirada no projeto "Mãos Empenhadas Contra a Violência", implantado no Mato Grosso do Sul.

Beleza

Parceiro no projeto do governo federal, o maquiador Agustin Fernandez convida os colegas de profissão para abraçarem a causa. "No nosso ramo nós conversamos muito com as clientes e acabamos sendo, para elas, uma espécie de psicólogos. Você, que é profissional da beleza, pode aprender a reconhecer não só a violência física, como também a psicológica, por exemplo. A sua cliente geralmente mostra para você qualquer tipo de agressão que ela sofre no seu bem-estar, na sua autoestima. Você precisa estar preparado para conduzi-la no caminho certo”.

Ocorrência

A delegada responsável pela Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) de Brasília/DF, Sandra Melo, cita a importância do respeito e valorização das mulheres, independentemente da classe social.

“Essa violência contra a mulher não decorre do desemprego, não decorre das condições sociais dos envolvidos. Ela é universal, atinge mulheres e homens de todas as camadas sociais, de todas as idades, de todos os graus de escolaridade”, observa.

Psicologia

Para a psicóloga Juliana Nunes, a autoestima da mulher é fator crucial. “Tenha compromisso consigo, mesmo quando o outro não está assumindo esse compromisso na sua vida. Repense as suas relações e repense, principalmente, o valor que você tem. Porque à medida que você entende que você é importante, ninguém tem o poder de te roubar. Então se devolva todos os dias e entenda que você é um ser que merece todo amor do mundo”, aconselha.

Ligue 180

Oferecido pelo MMFDH, o Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher) é um canal gratuito que funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, no Brasil e em outros 16 países: Argentina, Bélgica, Espanha, EUA (São Francisco e Boston), França, Guiana Francesa, Holanda, Inglaterra, Itália, Luxemburgo, Noruega, Paraguai, Portugal, Suíça, Uruguai e Venezuela. O serviço também pode ser acionado por meio do aplicativo Proteja Brasil.

“O Ligue 180 atua para além das fronteiras brasileiras, pois ele alcança a mulher brasileira vítima de violência em pelo menos 16 países, trabalhando com a prevenção, o apoio e amparo às vítimas de violência e refugiadas”, ressalta a secretária nacional de Políticas para Mulheres do ministério, Tia Eron.

Além de registrar denúncias de violações contra mulheres, encaminhá-las aos órgãos competentes e realizar seu monitoramento, o Ligue 180 também dissemina informações sobre direitos da mulher, amparo legal e a rede de atendimento e acolhimento.

Acesse o vídeo da campanha:

Reportar erro