Notícias

Nota de pesar - líder religiosa Makota Valdina

publicado: 19/03/2019 15h23, última modificação: 19/03/2019 15h24
Valdina

Foto: Divulgação.

A Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), em conjunto com o Conselho Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais, lamenta o falecimento da líder religiosa Makota Valdina. Educadora e ativista do movimento negro, ela faleceu na madrugada desta terça-feira (19), em Salvador, Bahia.

Professora aposentada da rede pública municipal de Salvador, ficou conhecida por desenvolver atividades assistenciais, em especial na alfabetização de adultos. Makota era uma referência na luta contra o racismo e intolerância religiosa, além de dedicar-se à promoção da cultura afro-brasileira.

Sua trajetória de vida foi retratada no documentário “Makota Valdina - Um jeito Negro de Ser e Viver”, ganhador do primeiro Prêmio Palmares de Comunicação, da Fundação Cultural Palmares. Membro do Conselho Estadual de Cultura da Bahia, seu trabalho recebeu várias homenagens , como a Medalha Maria Quitéria, da Câmara Municipal de Salvador.  O nome Makota refere-se ao cargo ocupado por ela no terreiro de candomblé Tanuri Junsara.​

“Nós não queremos ser tolerados, nós queremos ser respeitados.” Makota Valdina

Reportar erro