Notícias

Ministra Damares destaca políticas públicas do país durante o 5º Fórum de Juventude do BRICS

publicado: 18/10/2019 15h18, última modificação: 05/11/2019 17h11
1 | 8
Foto: Willian Meira - Ascom/MMFDH
2 | 8
3 | 8
4 | 8
5 | 8
6 | 8
7 | 8
8 | 8
BRICS
Foto: Willian Meira - Ascom/MMFDH
Foto: Willian Meira - Ascom/MMFDH
Foto: Willian Meira - Ascom/MMFDH
Foto: Willian Meira - Ascom/MMFDH
Foto: Willian Meira - Ascom/MMFDH
Foto: Willian Meira - Ascom/MMFDH
Foto: Willian Meira - Ascom/MMFDH

“Este novo governo do Brasil está atuando para alcançar os jovens invisibilizados, desde aqueles pertencentes às comunidades tradicionais, os indígenas, ribeirinhos, entre tantos outros que as políticas públicas não costumavam alcançar. Este governo não vai deixar ninguém para trás”. Com este compromisso, a ministra Damares Alves participou da abertura do 5º Fórum de Juventude do BRICS (Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul), nesta sexta-feira (18), em Brasília.

Com o tema “Empreendedorismo e Novas Tecnologias – Como canalizar o potencial da juventude do BRICS para o desenvolvimento”, este ano o evento é organizado pela Secretaria Nacional da Juventude (SNJ), do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). A atividade reúne autoridades responsáveis pela juventude, membros da sociedade civil e especialistas dos diferentes países integrantes do bloco econômico.

Durante o Fórum, a titular do MMFDH ressaltou que o órgão possui ações específicas para os brasileiros entre 15 e 29 anos, que atualmente são quase 48 milhões. “Alcançamos o ápice de nossa população jovem, que nunca mais terá tamanha proporção em relação às demais faixas etárias. Mas a verdade é que, ainda hoje, muitas barreiras se erguem para dificultar o pleno desenvolvimento dos jovens, não somente aqui, como ao redor do mundo”, observou.

Neste sentido, Damares citou que existem cerca de 15 milhões de jovens no país sem qualquer perspectiva de colocação no mercado, e que também não estão sequer em período de capacitação para reinserção. Segundo ela, a falta de oportunidades e, sobretudo, de perspectivas de vida, faz com que muitos jovens sejam atraídos pelo crime, pelas drogas e pela violência. “E pior, pode explicar os atuais números relacionados à ansiedade e à depressão. No Brasil, assim como no mundo, o suicídio já é a segunda maior causa de morte entre os jovens”, completou.

“Para enfrentar mais este desafio, implementamos, a partir desse ano, políticas públicas de prevenção à automutilação e ao suicídio, com lei sobre o tema sancionada e duas grandes campanhas lançadas, uma delas direcionada especificamente ao público jovem. Iniciamos o tratamento dos sintomas, mas queremos acabar mesmo é com a doença”, enfatizou a ministra.

Empreendedorismo

A gestora informou, ainda, que nesta perspectiva foi lançada a pedra fundamental do projeto Espaço 4.0, que visa levar a milhões de brasileiros, especialmente nas periferias, a capacitação para o trabalho e empreendedorismo em novas tecnologias.

“Nós, como países em desenvolvimento, temos que buscar entender essa nova geração, suas necessidades e como devemos conduzi-los para um futuro em que serão, eles, nossos jovens, as novas lideranças. Temos que prepará-los para um amanhã cada vez mais competitivo e exigente, e creio que fóruns como este são essenciais para que possamos encontrar as respostas. Suas contribuições serão essenciais para que nossos países caminhem, juntos, para o pleno desenvolvimento. E, por isso, conto com o auxílio de todos os presentes. Desejo a todos um excelente trabalho”, concluiu.

Cooperação

Para a secretária nacional da Juventude, Jayana Nicaretta da Silva, o debate de questões essenciais para os jovens, como a educação, o empreendedorismo, o futuro do trabalho, a participação política e o compartilhamento de experiências e ideias dos Estados-membros são alguns dos principais objetivos. Segundo ela, o tema principal do Fórum é de importância global, especialmente porque engloba algumas das principais soluções aos problemas da juventude.

“Diante disso, os debates, as explanações e a construção de experiências resultantes do 5º Fórum de Juventude do BRICS serão de extrema importância para compartilhamento de resultados exitosos no âmbito de juventude, de modo a auxiliarem na construção e melhoria das políticas públicas, além da valorização e engrandecimento dos países-membros do BRICS”, afirmou a secretária.

Em seguida, Jayana destacou que “é fundamental a ampla valorização do jovem no aspecto da potencialização do desenvolvimento de suas capacidades intelectual, social e econômica, ampliando, por consequência, sua inserção no mercado de trabalho e, assim, garantindo a dignidade e os direitos humanos”.

Evento

O Fórum será composto por painéis e Grupos de Trabalho, que buscarão definir as prioridades atuais da juventude dos países do BRICS. O tema principal, “Empreendedorismo e Novas Tecnologias – Como canalizar o potencial da juventude do BRICS para o desenvolvimento”, promoverá uma discussão acerca de diversas temáticas sob a ótica de juventude – empreendedorismo, inovação, direitos humanos, entre outros. A discussão culminará na aprovação de documentos oficiais que nortearão o posicionamento da cúpula do BRICS no que tange à juventude.

Acesse o site do evento para mais informações

Assista ao vídeo: 

 

Reportar erro