Notícias

MMFDH e ANUP fecham parceria no âmbito da campanha Acolha a Vida

publicado: 04/10/2019 15h11, última modificação: 04/10/2019 15h11

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) publicou, no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (04), o Extrato de Protocolo de Intenções, junto com a Associação Nacional das Universidades Particulares (ANUP). O objetivo do protocolo é estimular a criação de núcleos de acolhimento de estudantes em sofrimento grave nas instituições de ensino.

Além disso, o documento prevê ações para capacitar o corpo docente e o corpo técnico-administrativo e colaboradores de estabelecimentos de ensino, para identificação dos sinais e para atuação em relação aos estudantes em situação de sofrimento grave.

Para a ministra Damares Alves, estimular a utilização de dados fornecidos pela Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH) em artigos científicos, trabalhos de conclusão, dissertações de mestrado e teses de doutorado também são algumas das finalidades do protocolo.

“Queremos também apoiar o desenvolvimento e divulgação de tecnologias relacionadas à proteção dos direitos humanos e desenvolver disciplinas em metodologia de ensino à distância na área de educação, da saúde, com base nos princípios da campanha Acolha a Vida”, afirma a titular do ministério.

Para ela, a parceria com a representante e presidente da ANUP, Elizabeth Guedes, será muito significativa no contexto da realização da campanha Acolha a Vida, voltada à prevenção ao suicídio e automutilação de crianças, adolescentes e jovens conduzida pelo MMFDH. “É uma importante oportunidade para a identificação de sinais de sofrimento intenso entre os jovens universitários, bem como para o seu acolhimento e orientação”, finaliza.

Grupo de Trabalho

O enfrentamento ao suicídio e automutilação de crianças, adolescentes e jovens está entre as ações prioritárias do MMFDH. O órgão apoiou a Lei nº 13.819/2019, que versa sobre a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio

O MMFDH também constituiu, por meio da Portaria Nº 107, de 20 de março de 2019, o Grupo de Trabalho de Valorização da Vida e Prevenção da Violência Autoprovocada por Crianças, Adolescentes e Jovens, com a finalidade de realizar estudos, planejamento e acompanhamento da implementação de políticas públicas integradas e continuadas de prevenção e enfrentamento à automutilação e suicídio de crianças, adolescentes e jovens. São membros do Grupo representantes de todas as Secretarias temáticas do órgão, além de membros convidados de outros ministérios, especialistas e representantes da sociedade civil.

Reportar erro