Notícias

Uma realização do MMFDH, Programa Viver inicia as atividades em Porto Velho/RO

publicado: 08/10/2019 16h46, última modificação: 09/10/2019 12h34
Programa Viver

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), por meio da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (SNDPI), inaugurou o Programa Viver – Envelhecimento Ativo e Saudável em Porto Velho, capital de Rondônia, nesta segunda-feira (08). As atividades vão funcionar no Centro de Convivência do Idoso (CCI).

Porto Velho é o primeiro município a receber a implantação do programa no estado de Rondônia. Em âmbito nacional, esta é a 12ª inauguração.

“O programa trabalha com quatro campos de ação – tecnologia, educação, saúde e mobilidade física. Dentre as metas, o Programa busca alcançar o aumento da confiança e da autoestima para o desenvolvimento das próprias habilidades; a redução da depressão e da solidão; e a ampliação do acesso à informação, da comunicação e da interação social entre familiares e amigos, além de possibilitar maior longevidade com qualidade de vida”, afirmou o titular da SNDPI, secretário Antonio Costa.

Também estiveram presentes a pró-reitora de Extensão do Instituto Federal de Rondônia (IFRO), Maria Gorete Reis, o secretário adjunto Municipal de Planejamento Orçamento e Gestão, José Cantídio, o presidente da Câmara Municipal, vereador Francisco Edwilson Negreiros, o secretário municipal de Assistência Social e da Família, Claudi Rocha, a secretária adjunta Estadual de Assistência Social, Liana Silva Almeida, e a secretária municipal adjunta da Assistência Social e da Família, Ana Maria Negreiros.

Programa

“No Programa Viver, os compromissos são mútuos. A adesão é voluntária. O município encaminha um ofício que deve conter uma breve justificativa sobre a relevância e a pertinência de receber o Programa. O Conselho dos Direitos da Pessoa Idosa precisa estar ativo e, além disso, a Prefeitura deve disponibilizar o espaço para a instalação dos equipamentos e estabelecer as parcerias. Os equipamentos são doados pelo MMFDH, por meio da SNDPI, como computadores, webcams, projetores e impressoras”, explica o secretário Antonio Costa.

Reportar erro