Notícias

Ministério celebra o Setembro Azul

publicado: 30/09/2019 18h16, última modificação: 30/09/2019 18h17
Capa

Como parte da programação do Setembro Azul – mês de conscientização sobre os direitos das pessoas surdas e com deficiência auditiva – o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), por meio da Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNDPD), realizou eventos voltados à temática. Entre as ações, o Fórum de Políticas Públicas para Pessoas Surdas e com Deficiência Auditiva, na quinta-feira (26), e o Seminário de Acessibilidade e Tecnologia Assistiva para Pessoas Surdas e com Deficiência Auditiva (no dia 27).

Também foi realizada solenidade no Palácio do Planalto referente ao lançamento do projeto “LibrasGOV – Sinalizando em Língua Brasileira de Sinais os espaços, contextos e expressões governamentais”, promovida pela Governo Federal na tarde de quinta-feira (26). A iniciativa tem a proposta de registrar os sinais utilizados na política, a fim de possibilitar que todas as pessoas do país usem os mesmos símbolos.

No fórum, o quinto de uma série de encontros mensais sobre políticas públicas para pessoas com deficiência, foram debatidos temas como empregabilidade, saúde, educação e protagonismo da pessoa surda e com deficiência auditiva. A abertura do evento contou com a presença da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, ministra Damares Alves e secretária nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Priscilla Gaspar.

Em seu discurso, em Libras, a primeira-dama enfatizou a importância de propagar a língua de sinais no Brasil e tornar o país bilingue. “É importante que as crianças surdas aprendam assim como as ouvintes e que possam se desenvolver”, completou.

Para a ministra Damares Alves, os avanços na área da pessoa com deficiência já são evidentes, mas também ainda temos muito a avançar. “Meu sonho é ir em uma aldeia indígena ou numa região ribeirinha e ver todos os surdos que lá residem se comunicando em Libras”, disse.

Em seguida, a secretária Priscilla relatou que atualmente a sociedade já está mais empática em relação aos surdos, muitos já tentam se comunicar. “Temos que lutar para a educação bilíngue, para que os surdos se desenvolvam e para que os ouvintes aprendam junto com eles, em busca de uma sociedade cada vez mais inclusiva,” concluiu.

Seminário

O objetivo do 1º Seminário de Acessibilidade e Tecnologia Assistiva para Pessoas Surdas e com Deficiência Auditiva consistiu em debater, com especialistas, os avanços e desafios no campo da acessibilidade e tecnologia assistiva.

Estiveram presentes representantes de órgãos do governo, plataformas de tradução libras/português, associações para surdos, empresas e sociedade civil. Foram debatidos temas como acessibilidade nos meios audiovisuais, inovação e desenvolvimento de dispositivos de tecnologia assistiva para esse público, aplicabilidade em múltiplos contextos de vida e o debate entre o uso de intérpretes de libras humanos e avatares.

Setembro Azul

Conhecido como mês da visibilidade da Comunidade Surda Brasileira, o “Setembro Azul” tem como propósito conscientizar a sociedade sobre os direitos das pessoas surdas e com deficiência auditiva.

A campanha abrange o Dia Mundial das Línguas de Sinais, em 10 de setembro, o Dia Nacional da Pessoa Surda, no dia 26, e o Dia Internacional da Pessoa Surda, no dia 30. A cor azul no tema foi escolhida em homenagem aos surdos mortos pelo sistema nazista durante a Segunda Guerra Mundial, na qual eram identificadas com uma faixa com essa cor no braço.

Reportar erro