Notícias

Nota: Relatório sobre violência contra os povos indígenas

publicado: 27/09/2019 00h29, última modificação: 27/09/2019 00h29

Foi lançado nesta terça-feira (24) o “Relatório Violência Contra os Povos Indígenas do Brasil – Dados de 2018”, pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi), vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Apesar de ter sido produzido com dados de 2018, o Relatório faz acusações de interpretação político-partidárias contra o atual presidente da República, Jair Bolsonaro, e o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, empossados no ano de 2019.

Por meio desta nota, a Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SNPIR), do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), rechaça esses dizeres do Relatório citado, por entender que algumas informações nele contidas não representam fatos e, sim, interpretações político-partidárias de informações descontextualizadas.

As comunidades indígenas brasileiras, bem como as comunidades tradicionais, têm sido tratadas com respeito e atenção prioritária por parte desta gestão e desta pasta, cuja secretária nacional, Sandra Terena, é a primeira indígena brasileira a ocupar um cargo desse nível no Governo Federal.

A ministra Damares Alves e a secretária Sandra Terena têm realizado diversas articulações em prol de construir melhores políticas públicas aos povos indígenas e comunidades tradicionais e reafirmam os ideais do presidente Jair Bolsonaro que, sendo continuamente mal interpretado por parte da imprensa, acredita que os Direitos Humanos devem ser para todos. Indígenas são seres humanos como quaisquer outros e não devem, em hipótese alguma, serem privados de seus direitos fundamentais, nem devem aceitar a imposição de reclusão por parte daqueles que ambicionam as riquezas de seus locais de origem.

Reportar erro